sexta-feira, 27 de maio de 2016

Cresce número de agências de intercâmbio cadastradas no Ministério do Turismo para atender demanda de brasileiros e estrangeiros



Brasileiros e estrangeiros têm optado cada vez mais em aproveitar o período de viagens para aprender um novo idioma ou se dedicar a uma área de interesse. Para atender essa demanda crescente, o número de agências do segmento cadastradas no Cadastur, do Ministério do Turismo, quintuplicou entre 2009 e 2016, passando de 945 agências para 5.425 empresas cadastradas no seguimento de intercâmbio e estudos. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais estão entre os estados com a maior quantidade de empresas cadastradas.
O turismo de intercâmbio tem a finalidade de ampliar o conhecimento dos estudantes e promover a troca de experiências, seja como voluntário, ensino médio, graduação, mestrado, doutorado, aprendizados de idiomas ou mesmo intercâmbio em empresas. E se por um lado muitos brasileiros vão para o exterior, o segmento também mostra um aumento do interesse pelo Brasil. Esse cenário fez com que o mercado de estudos e intercâmbio crescesse muito nos últimos anos.
A Aiesec, uma organização não-governamental sem fins lucrativos, que promove intercâmbios de jovens até 30 anos em empresas ou para voluntariado, informa que de 2012 para 2015 o número de estrangeiros que vêm para o Brasil mais do que dobrou, passando de 1.570 para 3.957. Enquanto isso, o número de brasileiros que vão para o exterior, no mesmo período, saltou de 1.698 para 2.538. Fernanda Peixoto, da Aiesec Natal, já recebeu dois intercambistas, da Itália e Estados Unidos. Ela é formada em Administração Hoteleira e passou uma temporada em Neuquén, na Argentina, pelo mesmo programa, onde pode aperfeiçoar o espanhol em atividades lúdicas com crianças de escolas públicas locais.
Segundo Martha Ghizzo, da Associação Brasileira de Operadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta), os americanos e os europeus dos países nórdicos e alemães são os principais públicos de intercâmbio. “A desvalorização do real tornou o Brasil mais barato e isso pode atrair ainda mais estrangeiros”, afirma Martha sobre a situação atual. A natureza, a cultura, a música e o jeito acolhedor do brasileiro são os principais fatores que motivam a vinda deles para cá.
CADASTUR – Criado pelo Ministério do Turismo, o cadastro é uma garantia ao consumidor de que a empresa funciona regularmente e pode prestar serviços turísticos.  O Cadastur, que atualmente reúne 58 mil empreendimentos de todo o país, recebe cadastros obrigatórios de meios de hospedagem, agências de turismo, transportadoras, organizadoras de eventos, parques temáticos, acampamentos e guias de turismo.  Ele dispõe ainda de informações sobre bares e restaurantes, centros de convenções e empresas de apoio ao turismo náutico, que são de cadastramento voluntário.
Fotos: Fernanda Peixoto, em Natal com Tarique (USA) e Tommaso (Itália), e na Argentina com colegas intercambistas e crianças de Neuquén
Assessoria de Imprensa
Ministério do Turismo

Inscrições para o ProUni do segundo semestre começam dia 7 de junho



As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) do segundo semestre de 2016 começam no dia 7 de junho. As inscrições poderão ser feitas exclusivamente pela internet, no site do ProUni, até as 23h59 do dia 10 de junho, no horário de Brasília. Pelo ProUni, os estudantes concorrem a uma bolsa de estudo em cursos de instituições privadas de ensino superior.
Pode se inscrever no programa o estudante brasileiro que não tenha diploma de curso superior, que tenha feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas e que não tenha nota 0 na redação.
O estudante ainda precisa atender a pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituição privada, na condição de bolsista integral; ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista integral; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrar o quadro de pessoal permanente da instituição.
Pode concorrer à bolsa integral o candidato cuja renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de 1,5 salário-mínimo. As bolsas parciais são para os casos em que a renda familiar bruta mensal per capita não exceda o valor de três salários mínimos.
O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 13 de junho e a segunda chamada, no dia 27 do mesmo mês. O prazo para quem não foi selecionado manifestar  interesse de entrar para a lista de espera vai do dia 8 ao dia 11 de julho.
O edital com as regras do ProUni foi publicado no Diário Oficial da União de hoje (27).
Fonte: Agencia Brasil

Tesouro: Dívida Pública Federal cai 3,01% em abril e fica em R$ 2,79 trilhões



A Dívida Pública Federal (DPF) apresentou redução, em termos nominas, de 3,01% em abril na comparação com março, ao passar de R$ 2,886 trilhões para R$ 2,799 trilhões. Os dados, que incluem o endividamento interno e externo, foram divulgados hoje (27) pelo Tesouro Nacional. É a primeira queda mensal desde janeiro.
O coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, do Tesouro Nacional, Leandro Secunho, destacou que a redução se deve a um vencimento elevado de títulos prefixados no mês, já esperado. Ele enfatizou também que existe um cenário bastante positivo em relação às medidas anunciadas pelo governo, como a intenção de criar um teto para gastos públicos.
“Existe um cenário bastante positivo. Temos visto demandas relevantes para os nossos leilões. Existe uma expectativa em relação a essas medidas. Uma expectativa não só às medidas, mas também em relação ao governo, e o cenário parece bastante positivo. É isso que temos visto em termos de demanda nos nossos leilões”, explicou.
O endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões, pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta. Outro fator de elevação pode se dar pela assinatura de contratos de empréstimo.
No mês de abril, as emissões da DPF corresponderam a R$ 52,74 bilhões, enquanto os resgates alcançaram R$ 161,33 bilhões, resultando em resgate líquido de R$ 108,60 bilhões.
A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) teve o estoque reduzido em 3,03% ao passar de R$ 2,753 trilhões para R$ 2,670 trilhões. A DPMFi é a dívida pública federal interna em circulação no mercado nacional.
Com relação ao estoque da Dívida Pública Federal Externa (DPFe), houve redução de 2,70% na comparação com o resultado do mês anterior, chegando a R$ 129,60 bilhões, equivalentes a US$ 37,95 bilhões. Desse total, R$ 117,71 bilhões (US$ 34,47 bilhões) referem-se à dívida mobiliária (títulos), e R$ 11,89 bilhões (US$ 3,48 bilhões), à dívida contratual.
DPFe é a Dívida Pública Federal existente no mercado internacional paga em outras moedas. De acordo com o Tesouro Nacional, a variação da DPFe deveu-se principalmente pela valorização do real em relação as moedas que compõem o estoque da dívida externa.
De acordo com o Plano Anual de Financiamento (PAF), o governo estima a Dívida Pública Federal, em 2016, entre R$ 3,1 trilhões e R$ 3,3 trilhões.
Fonte: Agencia Brasil

GOVERNADOR ESTÁ TURISTANDO COM A FAMÍLIA EM VIAGEM INTERNACIONAL



O governador Robinson Farias passou ontem o comando do Estado para o vice governador Fábio Dantas por um peri odo de 12 dias e empreendeu viagem turística internacional com a familia.
O passeio foi uma forma que o governador encontrou para se aliviar dos estressantes problemas que vem enfrentando no governo nestes últimos dias.
O governador escolheu o território da Flórida, tendo como local de desopilação a belissima cidade de Miami. 

Fonte: Aluizio França /Via Serrinha de Fato

Dívida pública caiu 3,01% em abril, para R$ 2,79 trilhões, diz Tesouro



A dívida pública brasileira, que inclui os endividamentos interno e externo do governo federal, caiu 3,01% em abril, para R$ 2,79 trilhões, informou o Tesouro Nacional nesta sexta-feira (27). Em março, o endividamento público havia registrado alta e chegado a R$ 2,88 trilhões.
A expectativa do governo é que a dívida fique entre R$ 3,1 trilhões e R$ 3,3 trilhões no fim de 2016. A previsão está do Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2016. Ao fim de 2015, ela era de R$ 2,79 trilhões.
Dívida pública é o resultado dos títulos que o governo emite para pagar os papéis que estão sendo resgatados, ou seja, que estão vencendo, e também para financiar empréstimos.
Nos últimos anos, por exemplo, mais de R$ 400 bilhões foram emitidos pelo Tesouro Nacional para proporcionar recursos para os empréstimos feitos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No futuro, o banco devolverá esses recursos à União.
Nesta semana, o governo Temer entregou ao Congresso pedido de autorização para que o governo registre em 2016 um rombo recorde de R$ 170,5 bilhões em suas contas.

Contenção de gastos
Na terça-feira (24), o presidente em exercício, Michel Temer, anunciou medidas para tentar conter o crescimento dos gastos públicos e retomar o crescimento da economia brasileira.

Entre as propostas está limitar o crescimento dos gastos públicos, em um ano, à taxa de inflação do ano anterior. A medida impede o crescimento real (acima da inflação) das despesas. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a proposta atingiria inclusive os orçamentos voltados para financiar ações nas áreas de saúde e educação no Brasil.
Outra ações são a devolução, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de pelo menos R$ 100 bilhões em recursos repassados pelo Tesouro Nacional nos últimos anos; a suspensão de novos subsídios; a extinção do fundo soberano; e o apoio ao um projeto que muda as regras para exploração do petróleo no pré-sal.
Não foi anunciado aumento de impostos nesse momento. Entretanto, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, não descartou que isso seja feito no futuro.
Do G1